Equipe Gestora
 
Diretora

Profª  Verônica Escolástica Santos

Vice-Diretora

Profª Luciana de Albuquerque Barros

Coordenadora Ens. Fundamental-Anos Finais

Profª Rosana Gavino Assan

Coordenadora Ensino Médio

Profª Andréa Rinaldo

 

 

 

 

 

Horário de Funcionamento

Segunda à Sextas-feiras 

das 08h  as 16h 

Telefone: (11) 2296.4821

 

Compartilhar na mídia social


DIA 23/10/2017

ENSINO MÉDIO: 8:00 H

ENSINO FUND. ANOS FINAIS : 14:00 H

 

Aluno interessado ou aluno compromissado

Você já parou para pensar que existem diferenças entre pessoas interessadas e pessoas comprometidas? Você foi ou é um aluno interessado ou compromissado com os estudos?

 

Antes de começar a falar qual o melhor modelo, vamos mostrar a diferença entre os dois. Analisando essas duas palavras e olhando o significado de cada uma no dicionário, encontramos:

 

Interessado: 1 Que, ou o que tem interesse. 2. Que, ou o que espera vantagens.

 

Comprometido: 1 Que assumiu compromisso. 2. Que assumiu compromisso: deveres de lealdade para com quem mantém relações.

Lendo o significado de cada um deles provavelmente você já descobriu qual seria a melhor opção. Muitas vezes usamos a palavra errada para expressar alguma coisa, um aluno interessado é bem diferente de um aluno comprometido e um não tem relação com o outro. Agora que já sabe o que é cada um, já pode responder nossa pergunta: Seu filho (a) é um aluno (a) interessado ou comprometido?

 

Esses dois alunos estudam, praticam as atividades que os professores passam, fazem as provas, e até aprendem, mas existe uma diferença. O aluno interessado é aquele que tem interesse porque pode levar vantagem, ou seja, ele é interessado porque precisa saber aquilo para passar de ano, ou se interessa em uma aula apenas porque espera obter resultados.

 

compromissado já é diferente, é aquela pessoa que assumiu um compromisso de estudar e vai cumprir com o seu dever, ele vai estudar porque quer aprender. Afinal, ninguém assume um compromisso sem querer, é algo pensado e planejado, assim como um namoro e casamento, quando um indivíduo assume esse compromisso ele vai fazer de tudo para dar certo, porque é uma coisa que ele quer.

 

Não existe mais dúvida, não é mesmo? O melhor modelo de aluno é aquele compromissado, aquele que assumiu o compromisso de estudar porque quer, gosta e acredita que existe um futuro. Geralmente esse aluno estuda bastante, dedica horas de sua vida, é envolvido e tem motivação para estudar.

 

aluno compromissado é diferente em muitos aspectos, se você ainda estuda ou pretende estudar, precisa ser não só um aluno interessado, que busca o seu interesse acima de tudo, mas precisa ser um estudante comprometido.

 

Escolher ser um aluno compromissado, deixar seus interesses para depois, ter comprometimento é muito melhor, isso será bom para sua vida acadêmica e profissional. Não deixar de estudar, se dedicar, esforçar e de se envolver com as atividades da escola, quanto mais envolvido e comprometido estiver, melhor é.

 

Pode ter certeza que, no final, terão a recompensa, não apenas passar de ano, em formar ou em ter uma profissão qualquer. Um profissional compromissado vai muito longe em sua carreira.

 

PROJETO DE VIDA 

É um fato observado por educadores: ter uma perspectiva de futuro é a forma mais eficaz do jovem compreender que vale a pena investir nos estudos no momento presente. Por isso, a importância dos pais contribuírem para despertar em seus filhos esta visão. É a famosa construção de um projeto de vida, no qual ele vislumbra qual atuação profissional lhe atrai e que estilo de vida ele pretende adotar. Vale ressaltar, no entanto, que sonhar em ter uma profissão que lhe permita ter uma casa na praia, viajar para o exterior ou viver confortavelmente, como muitos jovens fazem, é só o começo de tudo. "Desenhar um projeto de vida é estabelecer objetivos a curto, médio e longo prazo, como querer se formar numa faculdade, adquirir um bem, casar. Metas que simplesmente terminam quando alcançadas e que podem até trazer frustrações, por parecem sem sentido depois de conquistadas. Já ter um projeto vital é algo maior, que talvez se passe a vida inteira buscando realizá-lo: por exemplo, quero constituir uma família e ser um bom exemplo para os filhos, ter um lar equilibrado; quero colocar minha atuação a serviço da sociedade e trabalhar para fazer com o que o mundo se torne um pouco melhor. Para isso é preciso ampliar as perspectivas dos filhos, ajudando-os a enxergar além dos benefícios diretos de se construir uma carreira e trabalhando valores maiores, como transformação social, inclusão, solidariedade. Os especialistas admitem que esta seja uma tarefa complexa. "Estamos diante de uma sociedade de valores invertidos, muito voltada para o consumo e não para um posicionamento ético. São conceitos passados em novelas, propagandas, pela mídia. Por isso mesmo nos tempos atuais os jovens precisam ainda mais desta ajuda dos pais na construção de sua perspectiva futura. http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/projeto-de-vida-867404.shtml

 

 

PARTICIPAÇÃO DA FAMÍLIA

 

    É essencial a participação da família no cotidiano escolar. Não há como analisar o desempenho do aluno sem levar em consideração que o mesmo é parte de um todo, ou seja, o seu perfil vai além dos portões da escola.  A princípio pode até parecer meio confuso, mas é preciso compreender que o jovem é fruto de um histórico social e familiar.

    As boas ou más ações são oriundas do reflexo proporcionado principalmente pela família. Neste caso, algumas medidas básicas contribuirão para o bom desempenho do discente em sua trajetória escolar. Entre elas destacam-se: 

     O diálogo permanente por parte dos pais, demonstrando o interesse pela aquisição do conhecimento durante a permanência do filho no ambiente escolar, e o que é mais importante, ensinando-o a valorizá-la. 


     Sugerir que o filho repasse os conhecimentos adquiridos para a família, isso facilita uma melhor fixação dos conteúdos apreendidos. 

  •  Acompanhar as tarefas diárias, incutindo a necessidade do cumprimento com as obrigações em tempo hábil, bem como a presença assídua na escola, caso contrário, as faltas comprometerão o rendimento. 
  • Estimular o conhecimento que ultrapassa os limites dos conteúdos trazidos nas aulas. Tal medida leva o jovem à construção de seu próprio conhecimento, tornando-se um sujeito ativo frente às imposições geradas pela própria sociedade. 
  •   Incentivar a leitura e a interpretação de mundo, levando-o a ambientes como Bibliotecas, exposições, Feiras, espaços Culturais.

  Estes e outros procedimentos contribuirão para o bom desenvolvimento dos jovens, que futuramente se transformarão em adultos mais seguros de si, mais aptos a enfrentar os obstáculos que porventura a vida lhe proporcionar e mais críticos frente à sociedade a qual se encontram inseridos.

 

Fonte:  Vânia Duarte//Equipe Brasil Escola