E. E. Prof. João Borges 


QUESTIONÁRIO  SOLICITADO PELA SECRETARIA

DA EDUCAÇÃO

sed.educacao.sp.gov.br

RESPONDER ATÉ O DIA 29/10/2018

PARA TODOS OS PAIS E ALUNOS



SEMANA DE AVALIAÇÃO BIMESTRAL 

ENSINO MÉDIO 

DE 06 A 09/11/2018


AVALIAÇÃO UNIFICADA ENSINO FUNDAMENTAL 

ANOS FINAIS

14/11/2018


             

 juventude e maturidade

O relacionamento dos pais com os filhos adolescentes não tem sido fácil. Além da fase complexa pela qual os jovens passam e que os leva a agir de modo diferente do que seus pais estavam acostumados e que deixa os adultos um pouco perplexos e sem ação, a situação está ainda mais difícil por causa de nossa cultura em relação à juventude.

Ser jovem deixou de ser uma etapa da vida para se transformar em um estilo de viver. Isso significa que, quando a criança entra na adolescência, ela passa a se relacionar com adultos iguais a ela, ou seja, tão jovens quanto ela. Na questão educativa, esse é um fato complicador. A adolescência é o tempo de amadurecer, mas, se os pais não ajudarem o filho a entrar na maturidade, ele continuará a agir de modo infantilizado. Todos conhecem jovens que estudam e… só. No restante do tempo da vida, eles consomem, frequentam festas, namoram e desfrutam da sexualidade, jogam, ficam na internet.

Em resumo: eles estudam sob uma enorme pressão de êxito não apenas por parte da família como de toda a sociedade e permanecem prisioneiros de seus caprichos impulsivos. Para muitos, esse é o momento de buscar desafios para evitar o tédio que se instala nesse tipo de vida.  O índice de suicídio entre jovens tem crescido no mundo todo, inclusive no Brasil. Aqui, tem aumentado a taxa que envolve a população entre 15 e 29 anos de idade. Isso significa que eles precisam muito dos pais nesse momento da vida. E o que seus pais podem fazer? Em primeiro lugar, podem bancar o lugar de adultos perante o filho adolescente, não esmorecer nem tampouco desistir, por mais árdua que a tarefa educativa pareça.

Negociar conflitos e demandas com o filho é uma maneira de os pais o ajudarem a perceber que ele pertence a um grupo que segue alguns valores e princípios que são inegociáveis, mas que, ao mesmo tempo, reconhecem o crescimento do filho e, por isso, valorizam sua busca de autonomia. Mas essa negociação deve priorizar a exigência do desenvolvimento de sua maturidade.

A responsabilidade dos pais é grande nesse momento da vida do filho e não apenas com a família e com ele próprio. Afinal, são esses jovens adolescentes que serão os responsáveis por nosso futuro bem próximo.

ROSELY SAYÃO

 http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/eq1305201016.htm








Aluno interessado ou aluno compromissado

Você já parou para pensar que existem diferenças entre pessoas interessadas e pessoas comprometidas? Você foi ou é um aluno interessado ou compromissado com os estudos?

 Antes de começar a falar qual o melhor modelo, vamos mostrar a diferença entre os dois. Analisando essas duas palavras e olhando o significado de cada uma no dicionário, encontramos:

 Interessado: 1 Que, ou o que tem interesse. 2. Que, ou o que espera vantagens.

 Comprometido: 1 Que assumiu compromisso. 2. Que assumiu compromisso: deveres de lealdade para com quem mantém relações.

Lendo o significado de cada um deles provavelmente você já descobriu qual seria a melhor opção. Muitas vezes usamos a palavra errada para expressar alguma coisa, um aluno interessado é bem diferente de um aluno comprometido e um não tem relação com o outro. Agora que já sabe o que é cada um, já pode responder nossa pergunta: Seu filho (a) é um aluno (a) interessado ou comprometido?

 Esses dois alunos estudam, praticam as atividades que os professores passam, fazem as provas, e até aprendem, mas existe uma diferença. O aluno interessado é aquele que tem interesse porque pode levar vantagem, ou seja, ele é interessado porque precisa saber aquilo para passar de ano, ou se interessa em uma aula apenas porque espera obter resultados.

 compromissado já é diferente, é aquela pessoa que assumiu um compromisso de estudar e vai cumprir com o seu dever, ele vai estudar porque quer aprender. Afinal, ninguém assume um compromisso sem querer, é algo pensado e planejado, assim como um namoro e casamento, quando um indivíduo assume esse compromisso ele vai fazer de tudo para dar certo, porque é uma coisa que ele quer.

 Não existe mais dúvida, não é mesmo? O melhor modelo de aluno é aquele compromissado, aquele que assumiu o compromisso de estudar porque quer, gosta e acredita que existe um futuro. Geralmente esse aluno estuda bastante, dedica horas de sua vida, é envolvido e tem motivação para estudar.

 aluno compromissado é diferente em muitos aspectos, se você ainda estuda ou pretende estudar, precisa ser não só um aluno interessado, que busca o seu interesse acima de tudo, mas precisa ser um estudante comprometido.

 Escolher ser um aluno compromissado, deixar seus interesses para depois, ter comprometimento é muito melhor, isso será bom para sua vida acadêmica e profissional. Não deixar de estudar, se dedicar, esforçar e de se envolver com as atividades da escola, quanto mais envolvido e comprometido estiver, melhor é.

 Pode ter certeza que, no final, terão a recompensa, não apenas passar de ano, em formar ou em ter uma profissão qualquer. Um profissional compromissado vai muito longe em sua carreira.

 

https://canaldoensino.com.br/blog/aluno-interessado-ou-aluno-compromissado-qual-o-melhor-modelo



SECRETARIA ESCOLAR



HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

De 2ª a 6ª feira das 8h às 17h 

Boletim Escolar

Secretaria Escolar Digital - SED

Diretoria de Ensino - Região Leste 5